08 e 09 de novembro de 2019

Para prosseguir informe seu e-mail,

Fique atento as novidades, você terá acesso a conteúdo importante na área de assistência domiciliar.

Programação

Oficinas e Pré-congresso – Sexta-feira - 08 de novembro de 2019

Desde 2018 os cursos pré-congresso são apresentados na forma de OFICINAS TEMÁTICAS com o intuito de proporcionar ao participante a vivência in loco do assunto proposto, por meio de atividades práticas. As atividades serão desenvolvidas por profissionais de reconhecida expertise, propiciando aos participantes a aquisição de conhecimentos mediante experiências que vão além da abordagem tradicional. Algumas oficinas se complementarão nos espaços simulados para tal fim. Dessa forma, assim foram organizadas:


Oficina I

Hipodermóclise - como fazer: (amplie o conhecimento adquirido nesta atividade participando do espaço simulado)

Responsável:
Profª. Dra. Mônica Martins Trovo de Araujo – enfermeira, mestre e doutora pela EEUSP, especialista em Cuidados Paliativos, docente da Universidade São Judas. Hipodermóclise consiste na administração de fluídos por via subcutânea, técnica fundamental para a reposição hidroeletrolítica e terapia medicamentosa em pessoas idosas, pacientes com impossibilidade de ingestão oral e/ou acesso venoso, especialmente no contexto da atenção domiciliar.

Oficina II

Gastrostomia endoscópica: indicação, riscos e cuidados. (amplie o conhecimento adquirido nesta atividade participando do espaço simulado).

Responsável:
Dr. Edson Ide – médico – mestre pela FMUSP, supervisor de endoscopia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Os benefícios da GEP - Gastrostomia Endoscópica Percutânea podem ser aferidos pelos resultados em crianças e adultos, que apresentam dificuldades com a ingestão de alimentos pela via oral, constituindo-se, também, como uma alternativa para a infusão de alguns medicamentos. Será demonstrado como se realiza o procedimento e quais são os principais cuidados.

Oficina III

AMAC – Ambulatório Multidisciplinar de Assistência ao Cuidador: porque e como montar

Responsáveis:
Claudia Fernandes Laham - psicóloga do NADI – Hospital das Clínicas/FMUSP.
Dayane Soares Daniel - assistente social com especialização no Hospital das Clínicas de São Paulo/FMUSP. Na edição anterior do CIAD foi realizado o “Curso para cuidadores de pacientes em Atenção Domiciliar - como montar”, que teve como objetivo demonstrar como se organiza o curso para a capacitação de cuidadores leigos, a fim de garantir o cuidado adequado ao paciente. Desta feita, o objetivo é demonstrar como se organiza um ambulatório de assistência ao próprio cuidador, com o intuito contribuir para o autocuidado e a melhora da sua qualidade de vida.

Oficina IV

O paciente como mestre do cuidado: o legado de Elisabeth Kubler-Ross para os nossos dias.

Responsável:
Rodrigo Luz de Araujo – psicólogo do IPUB-Instituto de Psiquiatria da UFRJ e Diretor Presidente da Associação Elisabeth Kübler-Ross Foundation.
Elisabeth Kübler - Ross foi uma médica psiquiatra suíça, radicada nos Estados Unidos, uma das pioneiras do movimento de Tanatologia e Cuidados Paliativos globalmente. Nessa oficina conheceremos o seu legado histórico, assim como o método de ensino que colocou o paciente no centro do debate, a fim de tê-lo como um mestre do cuidado. Essa oficina é oferecida em parceira com a Elisabeth Kübler- Ross Foundation

Oficina V

Testamento Vital: o que precisamos saber e como fazemos.

Responsável:
Luciana Dadalto – advogada - graduação e mestrado pela PUC/MG, doutorado em Ciências da Saúde pela Faculdade de Minas Gerais.
Esta oficina trará importante contribuição aos participantes, facilitando a abordagem junto aos pacientes sobre assunto tão delicado. Segundo Luciana Dadalto, o testamento vital é definido como um documento escrito, pelo qual uma pessoa determina qual tipo de tratamento deseja ou recusa, numa situação futura, em que possa estar acometido de doença terminal, que a impossibilite de manifestar plenamente sua vontade.

Congresso - Sexta-feira – 08 de novembro de 2019

ATIVIDADE I – “É porque vivemos de fato entre e na passagem de um grupo social para outro que podemos sentir (...) a transformação do espaço como elemento socialmente importante”.
(DaMatta, 1997)

Grande Painel - Hospital x Domicílio: possibilidades e limites de práticas diferenciadas.
Coordenação:


• Avaliação na pré-alta hospitalar: aspectos a serem considerados para o encaminhamento à assistência domiciliar.
Palestrante - Setor Privado

• Possibilidades e limites no atendimento domiciliar aos pacientes em cuidados prolongados.
Palestrante – Setor Público
Discussão – mediador


Mesa Redonda - Adaptação em AD: a combinação entre criatividade e técnica.

• Como adaptar o domicílio e treinar a família para receber paciente em ventilação mecânica.
Palestrante

• Ventilação mecânica invasiva: a importância da equipe interdisciplinar na assistência integral ao paciente.
Palestrante

• Ventilação mecânica não invasiva – e outras modalidades de reabilitação respiratória para neuropatas graves.
Palestrante

• Discussão
Mediador

Coquetel - lançamento de publicações (18h30).

ATIVIDADE II – “Ser cidadão (e indivíduo) é algo que se aprende, e é algo demarcado por expectativas de comportamentos singulares..”
(DaMatta, 1997)

Grande Painel II - Assistência Domiciliar: observação atenta sobre registros, documentos x aspectos legais.
Coordenação:

• Informações clínicas sobre paciente: cautela na veiculação por meio de mídias eletrônicas.
Palestrante – Setor Privado

• Pacientes em Cuidados Paliativos: clareza quanto à legalidade e finalidade de documentos solicitados à equipe multiprofissional.
Palestrante – Setor Público
Discussão


Mesa Redonda – Adaptação em AD: a combinação entre criatividade e técnica.

• Importância do planejamento adequado da visita domiciliar pela equipe interdisciplinar: atenção à especificidade de cada caso.
Palestrante

• Dose unitária de medicamentos para pacientes especiais
Palestrante –

• Hipoacusia: adequando a comunicação para o paciente
Palestrante

• Discussão
Mediador


Coquetel - lançamento de publicações (18h30).

ATIVIDADE III – “Dialogar é relacionar, é criar um espaço ambíguo, tanto mais assim quanto mais distante estiverem as categorias entre si.”
(DaMatta, 1997)

Grande Painel - A atenção necessária aos profissionais da saúde.
Coordenação:


• Contratação e treinamento de profissionais de enfermagem: aspectos a ser considerados
Palestrante – Setor Privado

• Inteligência emocional e relacional no trabalho em equipe interdisciplinar
Palestrante – Setor Público


Mesa Redonda - Canais de comunicação eficazes em Atenção Domiciliar.

• Reunião de família de paciencite idoso: simples protocolo ou intervenção eficaz?
Palestrante

• Psicoterapia domiciliar: driblando os limites do espaço do outro
Palestrante

• Ambulatório de cuidadores: a escuta como estratégia de cuidados
Palestrante

• Discussão
Mediador


Coquetel - lançamento de publicações (18h30).

ATIVIDADE IV – “O feminino assume um aspecto relacional básico na estrutura ideológica brasileira.”
(DaMatta, 1997)

Grande Painel - Feminização: zelo e cuidado.
Coordenação:


• Cuidado domiciliar de recém-nascidos egressos de internação: treinamento e cuidados com as mães.
Palestrante – Setor Privado

• Assistência Ventilatória Domiciliar aos pacientes pediátricos em cuidados paliativos: atenção à mãe cuidadora.
Palestrante – Setor Público

• Discussão


Mesa Redonda - Assistência domiciliar e cuidados: ausências.

• Idosos sem responsável legal com indicação para Atenção Domiciliar: como viabilizar o atendimento
Palestrante

• Assistência domiciliar privada no cuidado ao paciente: quando a família se recusa a assumir a responsabilidade.
Palestrante

• Idosos em estado de abandono: quem protege?
Palestrantres

• Discussão
Mediador


Coquetel - lançamento de publicações (18h30).

Atividade V - “Não posso transformar a casa na rua e a rua na casa impunemente. Há regras para isso.” (DaMatta,1997)

Grande Painel - Adaptações técnicas necessárias ao cuidado domiciliar.
Coordenação:


• Indicação técnica de Catéter Central de Inserção Periférica - PICC: quando e por que indicar.
Palestrante – Setor Público

• Terapia nutricional parenteral: adaptações no domicílio.
Palestrante – Setor Privado

Mesa Redonda - Controle de sintomas e as alternativas possíveis.

• Cateter peridural – indicação e cuidados
Palestrante

• Acupuntura domiciliar é uma possibilidade?
Palestrante

• Laser em odontologia – no alívio afecções bucais
Palestrantes

• Discussão
Mediador


Coquetel - lançamento de publicações (18h30).

Congresso - Sábado – 09 de novembro de 2019

ATIVIDADE I – “Sem entender a sociedade com suas redes de relações sociais e valores, não se pode interpretar como o espaço é concebido.”
(DaMatta, 1997)

Palestra - Melhor em Casa: novo contexto no panorama brasileiro


Grande Painel - Internação domiciliar: diferentes vivências.
Coordenação:


• Atendimento interdisciplinar ao paciente crônico: evitando reinternações
Palestrante

• Avaliação e conduta preventivas em fonoaudiologia: ações complementares na assistência domiciliar
Palestrante
Discussão

Intervalo: (12h30 às 14h)


Mesa Redonda - Adaptando o domicílio para cuidados.

• Espaços e mobiliários adaptados às necessidades do paciente com restrições funcionais.
Palestrante:

• Como trabalhar a aceitação do paciente e família diante das alterações impostas pela doença.
Palestrante
Discussão


Apresentação oral de três trabalhos – Tema livre (16h às 16h45)

Intervalo: (16h45 às 17h30)

Encerramento e Premiação: (17h30 às 18h30)


ATIVIDADE II – “Somos mestres da transição equilibrada e da conciliação.”
(DaMatta, 1997)

Palestra - Inclusão dos Cuidados Paliativos na Atenção Domiciliar: desafios morais, éticos e operacionais.


Grande Painel - Assistência domiciliar: vivências junto a diferentes perfis de pacientes.
Coordenação:


• Pacientes pediátricos oncológicos em cuidados paliativos no domicílio: peculiariedades.
Palestrante

• Adolescentes com doenças neurodegenerativas de longa data: desafios quanto à perspectiva de futuro.
Palestrante
Discussão

Intervalo: (12h30 às 14h)


Mesa Redonda - Morte em domicílio: aspectos éticos, legais e operacionais:

• Quando há contraindicação do falecimento ocorrer em domicílio: aspectos clínicos.
Palestrante

• Aspectos éticos e legais que interferem na ocorrência do falecimento em domicílio.
Palestrante
Discussão


Apresentação oral de três trabalhos – Tema livre (16h às 16h45)

Intervalo: (16h45 às 17h30)

Encerramento e Premiação: (17h30 às 18h30)


ATIVIDADE III – “Há uma nação brasileira que opera fundada nos seus cidadãos e uma sociedade brasileira que funciona fundada nas mediações tradicionais.”
(DaMatta, 1997)

Palestra - Quando a proposta de assistência domiciliar é complementar à internação hospitalar?


Grande Painel - Projeto Terapêutico Singular: uma estratégia de atendimento
Coordenação:


• Quais os aspectos a serem considerados sobre o contexto e a pessoa a ser atendida em domicílio.
Palestrantes:

• Participação da família na construção e no cumprimento do Projeto Terapêutico Singular
Palestrante:
Discussão

Intervalo: (12h30 às 14h)


Mesa Redonda - Ações que podem ser desenvolvidas tendo como foco a alta da assistência domiciliar.

• A importância da avaliação da demanda clínica na efetivação da alta da assistência domiciliar: garantindo a continuidade do tratamento.
Palestrante

• Participação da equipe interdisciplinar no planejamento da alta: ações complementares em parceria com a rede de serviços.
Palestrante
Discussão


Apresentação oral de três trabalhos – Tema livre (16h às 16h45)

Intervalo: 16h45 às 17h30

Encerramento e Premiação: 17h30 às 18h30

ATIVIDADE IV – “Na realidade brasileira, “a mulher é básica, porque permite relacionar e, quase sempre, sintetizar antagonismos e conciliar opostos.”
(DaMatta, 1997)

Palestra - A feminização da velhice, da dependência e do cuidado: implicações na realidade brasileira.

Grande Painel - O cuidado como cotidiano.
Coordenação:


• Desconstrução da identidade: a demência como desencadeador de estresse e sofrimento no cuidador familiar.
Palestrante

• Risco de depressão em cuidadores idosos.
Palestrante


Mesa Redonda - A “ausência” do paciente como pessoa na atenção domiciliar.

• Ausência de vínculo: a compreensão necessária sobre a construção das relações familiares.
Palestrante

• Luto complicado: o sofrimento de quem cuidou.
Palestrante
Discussão

Apresentação oral de três trabalhos – Tema livre (16h às 16h45)

Intervalo: (16h45 às 17h30)

Encerramento e Premiação: (17h30 às 18h30)

ATIVIDADE V – “As sociedades relacionais têm muitos códigos de comportamento operando simultaneamente. Só que eles não estão competindo, mas são complementares entre si.”
(DaMatta, 1997)

Palestra - Redes de atenção em saúde e a inserção dos serviços de atenção domiciliar.

Grande Painel - O caráter complementar da Atenção Domiciliar.
Coordenação:


• Tratamento das infecções crônicas em ortopedia: o equilíbrio entre as diretrizes clínicas e as possibilidades no domicílio.
Palestrante

• Fisioterapia domiciliar: trabalhando as possibilidades de recuperação, manutenção e prevenção de agravos da saúde.
Palestrante

Mesa Redonda - Educação e saúde: desafio da assistência domiciliar.

• Alfabetismo em saúde: promovendo o conhecimento no cotidiano da Assistência Domiciliar
Palestrante:

• Reflexão e educação em Assistência Domiciliar: benefícios no aprendizado dos profissionais das diferentes áreas da saúde.

Apresentação oral de três trabalhos – Tema livre (16h às 16h45)

Intervalo: (16h45 às 17h30)

Encerramento e Premiação: (17h30 às 18h30)



Patrocinadores



Apoio